4
jul

Bom dia viajantes!

Depois de falarmos sobre nossa estada em Lisboa nos últimos posts do #Embarqueimediado, vamos viajar para seus arredores agora.

Mas, se você não viu, clique aqui, aqui e aqui.

Além de Lisboa ser uma cidade linda, organizada, cheia de atrativos o que já seria suficiente para sua visita, ela ainda tem outras várias cidades vizinhas pequenas e charmosas que vale a pena conhecer também. Nós tiramos um dia para ir até a esses pontos e vamos contar aqui para vocês quais são eles:

Sintra – Cidade Velha e Palácio da Pena

Sintra é uma vila portuguesa pitoresca, localizada no centro das colinas da Serra de Sintra. Este clima ligeiramente mais fresco atraiu a nobreza e elite de Portugal, cuja construiu palácios requintados, residências extravagantes e jardins decorativos.
A variedade de edifícios históricos fascinantes e as belíssimas paisagens estabeleceram Sintra como um dos melhores destinos turísticos, assim como a viagem complementar mais popular a partir de Lisboa.

Para uma cidade relativamente pequena, existe um número vasto de monumentos históricos e atrações turísticas interessantes. Contidos no interior de Sintra existem mais do que 10 monumentos nacionais, incluindo palácios opulentos, ruínas antigas e habitações decorativas.

Palácio da Pena

O Palácio da Pena foi esboçado pelo artístico Rei Fernando II e é uma mistura extravagante de cores vívidas e belas esculturas de pedra. Representa uma das principais expressões do Romantismo arquitetónico do século XIX no mundo, constituindo-se no primeiro palácio nesse estilo na Europa, erguido cerca de 30 anos antes do Castelo de Neuschwanstein, na Baviera. Em 7 de julho de 2007 foi eleito como uma das Sete Maravilhas de Portugal. Para saber mais da história desse local, clique aqui.

Nós recomendamos fazer a visita ao Palácio da Pena o mais cedo possível, já que a cidade fica lotada de turistas. Chegamos logo pela manhã, por volta das 9h30 e na saída já estava um pouco cheio.

Uma das vistas de dentro do Palácio da Pena

Salão Nobre do Palácio da Pena

 

Vista da área externa do Palácio

Cidade Velha de Cintra

Para quem irá ficar apenas algumas horas na cidade, recomendamos após a visita ao Palácio andar um pouco pelas vielas da cidade de Sintra e admirar as belas paisagens que a cidade oferece.

 

Vielas de Cintra

Belas paisagens em Sintra

Portugal é muito famoso por seus quitutes. Assim como o Pastel de Belém, Sintra também tem seu doce típico. Este maravilhoso folhado que leva ovos, açúcar e canela é um doce típico de Sintra. Quem está de visita pela cidade e passa em frente à confeitaria Piriquita se depara com filas enormes de turistas ansiosos para provar esta delícia. E fica aqui a dica: um é pouco, dois é bom e três… Melhor ainda!

Frente da confeitaria mais tradicional de Sintra

Os famosos travesseiros

No próximo post conheceremos Cascais, Estoril e Cabo da Roca. Até lá!

Se você ficou com alguma dúvida, ou quer viajar a Portugal entre em contato com beto@aresviagens.com. Estarei a disposição para atender.

Beto e Victor

Tags: lisboa e arredores, palácio da pena, portugal, sintra, travesseiros de sintra,

23
jun

Oie gente! Esse é o nosso último post da passagem por Lisboa. Se você perdeu os dois primeiros acesse aqui e aqui.  No próximo post visitaremos, Sintra, Cascais e mais alguns pontos super legais! Fique de olho.

Terminamos nosso último post falando dos deliciosos pastéis de Belém. Já da até água na boca. Logo depois, visitamos a Torre de Belém.

Torre de Belém

A Torre de Belém ou Torre de São Vicente foi construída no século XVI às margens do famoso Rio Tejo. Ali ela funcionava como fortaleza, contando com vários tipos de artilharia medieval.

Originalmente a torre ficava em uma base de pedras em meio ao rio, hoje já está integrada à Praia de Belém. Com o tempo, foi deixando de ser uma fortaleza e passou por transformações que fizeram dela um posto aduaneiro, farol e até masmorra para presos políticos. Hoje, é considerada patrimônio mundial pela UNESCO e é um dos símbolos de Portugal.

Como edificação, é um belo exemplar da transição do estilo arquitetônico medieval ao estilo manuelino, cujo nome vem do rei D. Manuel I, o mais importante dos reis portugueses, grande responsável pela expansão marítima em Portugal na Era dos Descobrimentos. Como marco histórico, foi dali que partiram os grandes navegadores portugueses em busca de novas rotas marítimas – Vasco da Gama até a Índia e Pedro Álvares Cabral até o Brasil, entre outros.

Monumento aos Descobrimentos

O Padrão dos Descobrimentos (ou Monumento aos Descobrimentos; ou Monumento aos Navegantes) localiza-se na freguesia de Belém, na cidade e Distrito de Lisboa, em Portugal. A concepção arquitetônicaé de Cottinelli Telmo e as esculturas são de Leopoldo de Almeida.

Em posição destacada na margem direita do rio Tejo, o monumento original, em materiais perecíveis, foi erguido em 1940 por ocasião da Exposição do Mundo Português para homenagear as figuras históricas envolvidas nos Descobrimentos portugueses. A réplica atual, em betão e pedra, é posterior, tendo sido inaugurada em 1960.

 

Esse foi o último ponto do nosso city tour por Lisboa. Conhecemos os pontos principais e ficamos sabendo um pouco mais dessa cidade linda que deve ser visitada, Na parte da tarde, fomos em metrô, que conecta super bem toda a cidade até o Parque das Nações.

Parque das Nações

O Parque das Nações é a zona mais oriental da cidade de Lisboa. É uma das zonas mais recentes e foi totalmente construído para a grande exposição da Expo 98. Hoje em dia, o Parque das Nações para além de ser uma das maiores zonas habitacionais da cidade, é também um dos locais ideais para passear, aprofundar o nosso conhecimento, jantar fora, fazer compras, praticar esportes e sobretudo apreciar a arte urbana em toda a sua envolvente.

O Portal das Nações, é um site bastante intuitivo que nos dá a conhecer todas as atrações do Parque bem como a maioria dos cafés, restaurantes, jardins e serviços disponíveis na zona.

Teleférico ou Telecabine

Inaugurado em 1998, o Telecabine de Lisboa, ou Teleférico de Lisboa, é uma das diversões à disposição dos turistas no charmoso Parque das Nações, à beira do Rio Tejo. Outros pontos turísticos famosos estão por ali, como o Oceanário de Lisboa, o Casino de Lisboa , o Pavilhão Atlântico e o Centro Comercial Vasco da Gama.

 

Depois de andar bastante no Parque, fomos conhecer o Mercado da Ribeira.

Mercado da Ribeira

O edifício que hoje abriga o Mercado da Ribeira é do final dos anos 1800 e fica bem em frente ao Cais do Sodré. Inicialmente, ele era apenas um mercado de venda de flores, verduras e frutas. Mas quando o Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, o MARL, foi aberto, em 2000, ele acabou perdendo a importância e ficou um pouco abandonado.

A prefeitura de Lisboa, então, realizou um concurso para a reabilitação do mercado. A revista Time Out ganhou e em maio de 2014 abriu parte deste espaço todo revitalizado (a outra parte continua funcionando como um mercado “comum”), colocando o Mercado da Ribeira no mapa de atrações de Lisboa, frequentado por turistas e locais. O lugar é disputadíssimo, diga-se de passagem!

 

As bancas tradicionais de venda de produtos frescos encontram-se no piso térreo, e estão abertas das 6h às 14h. O espaço de restauração, com mesas corridas em estilo cantina, abriu em maio de 2014, e tornou-se um destino gastronômico. Encontra-se no lado poente do edifício, no piso térreo, e funciona todos os dias, das 10h à meia-noite de domingo a quarta-feira, e das 10h às 2h de quinta-feira a sábado.
Mistura bancas de chefs conceituados com várias marcas de produtos nacionais, e a oferta varia entre o marisco, pregos, hambúrgueres, sushi e gelados, entre outras especialidades.  Ao centro estão as bancas das bebidas.

E não pode faltar aqui a foto com os famosos funiculares de Lisboa, não é mesmo?

Funiculares Lisboetas

Inicialmente alimentados por água, os famosos funiculares lisboetas (também chamados de elevadores ou ascensores) são agora movidos a energia elétrica. Continuando assim a ser a maneira mais amiga do ambiente para subir e descer as colinas da cidade. Também já foram castanhos, passando ao amarelo de hoje na década de 1930.
Classificados como monumentos nacionais, a sobrevivência ao tempo deve-se às ruas íngremes da cidade, que os tornam essenciais na vida de muitos lisboetas e turistas. Juntos, estes quatro elevadores transportam cerca de 3,5 milhões de passageiros por ano, gratuitamente para quem tiver o Lisboa Card.

Acabamos de voltar de lá e já deu saudade!

Até semana que vem!

Beto e Victor

 

Tags: city tour em lisboa, lisboa, mercado da ribeira, monumento aos descobridores, torre de belem,

13
jun

Oie gente!

Agora já em terras brasileiras, continuaremos com a sequencia de post falando sobre nossa Eurotrip, que começou em Lisboa. Na última matéria do #Embarqueimeditado, falei sobre as primeiras impressões de Lisboa, uma cidade incrível que tem muito a oferecer para os viajantes. Se você perdeu, clique aqui!

Hoje, continuamos com as impressões e alguns locais imperdíveis por lá. O nosso city tour foi feito com carro então definimos os locais que gostaríamos de conhecer. Mas lá, dá para fazer o passeio em ônibus turísticos que possuem uma rota específica e você pode subir e descer no ponto que achar interessante. Ou até mesmo tuk tuk. A febre dos triciclos motorizados já invadiu Lisboa e é uma opção para os turistas conhecer a cidade.

Nossa primeira parada foi no:

Parque Eduardo VII ou Parque do Alto

Nessa vista é possível ver a cidade de Lisboa.

Vista do Parque Eduardo VII.

Este parque, construído em 1903 foi nomeado em homenagem ao rei Eduardo VII de Inglaterra que teria viajado a Lisboa num gesto de aproximação da firme aliança entre estes dois países. No topo do parque poderá encontrar um bonito mirante com uma grande bandeira portuguesa hasteada (não aparece na foto) que recorda aos locais, a cada dia, o orgulho em ser português.

Memorial Dom Pedro I

Estátua de D. Pedro I, localizada na Praça do Rossio em frente ao Teatro Nacional

Bairro de Alfama

Vista do bairro Alfama e dos transatlânticos ancorados do Porto de Lisboa.

Alfama é um dos bairros mais genuínos e antigos da cidade de Lisboa, a sua arquitetura apresenta características peculiares de prédios antigos e coloridos que lhe conferem um caráter de alegria e tranquilidade. Data desde o domínio dos mouros na Península Ibérica, do século VIII ao XI. O nome em si vem do árabe e suas ruelas remontam às de uma vila medieval.

Lisboa, que sofreu muito com um forte terremoto em 1755, foi bastante danificada e reconstruída à época, mas as casas do bairro de Alfama resistiram. Hoje, as estreitas ruas são famosas não apenas pelo antigo casario que resistiu ao tempo, mas pelos seus ótimos restaurantes, apresentações de fado, intensa vida noturna e vistas espetaculares de toda a cidade. Passear pelo bairro de Alfama é um convite para perder-se entre ruelas extremamente encantadoras.

Mirante Nossa Senhora do Monte

Vista incrível de um dos pontos mais altos de Lisboa.

Lisboa é uma cidade famosa por seus miradouros, assim são conhecidos os mirantes lá em Portugal. Esse da foto, o Nossa Senhora do Monte proporciona uma vista incrível da cidade de Lisboa e já foi um dos segredinhos da capital, já que o seu acesso não é dos mais fáceis.

Mas, os tuk-tuks (triciclos motorizados famosos lá na Tailândia) acabaram com a tranquilidade desse mirante que pode ficar lotado em alta temporada. Tivemos sorte, o dia estava lindo e o ambiente super tranquilo, com direito a violino. Inesquecível!

Em sua fantástica vista, é possível localizar o centro histórico, o Castelo de São Jorge, a Ponte 25 de Abril e a margem sul do Tejo, por exemplo.

Pastel de Belém

A primeira coisa que eu posso falar… ele não é famoso a toa! O mais tradicional doce português, encontrado exclusivamente em sua única doceria no bairro de Belém em Lisboa data do Século XIX.

Conheça a história do Pastel de Belém

No início do Século XIX, em Belém, junto ao Mosteiro dos Jerónimos, laborava uma refinação de cana-de-açúcar associada a um pequeno local de comércio variado. Como consequência da revolução Liberal ocorrida em 1820, são em 1834 encerrados todos os conventos e mosteiros de Portugal, expulsando o clero e os trabalhadores.

Numa tentativa de sobrevivência, alguém do Mosteiro põe à venda nessa loja uns doces pastéis, rapidamente designados por “Pastéis de Belém”.

Na época, a zona de Belém era distante da cidade de Lisboa e o percurso era assegurado por barcos de vapor. No entanto, a imponência do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém, atraía os visitantes que depressa se habituaram a saborear os deliciosos pastéis originários do Mosteiro.

Em 1837, inicia-se o fabrico dos “Pastéis de Belém”, em instalações anexas à refinação, segundo a antiga “receita secreta”, oriunda do Mosteiro. Transmitida e exclusivamente conhecida pelos mestres pasteleiros que os fabricam artesanalmente, na “Oficina do Segredo”. Esta receita mantém-se igual até aos dias de hoje.

De fato, a única verdadeira fábrica dos “Pastéis de Belém” consegue, através de uma criteriosa escolha de ingredientes, proporcionar hoje o paladar da antiga doçaria portuguesa.

Receita de séculos que preserva o sabor da iguaria portuguesa mais famosa: Pastel de Belém.

Receita de séculos que preserva o sabor da iguaria portuguesa mais famosa: Pastel de Belém.

Quer provar essa iguaria? Prepare-se! Tem fila o dia inteiro. Mas vale muito a pena. Recomendamos!

Na quinta-feira continuaremos nosso city-tour por Lisboa e chegaremos a outras cidades próximas que valem a pena serem visitadas!

 

 

Tags: city-tour, eurotrip, lisboa, lua de mel, portugal, trip, viagem, viagem internacional,