Cozinhando a dois

Que tal aprender a fazer pratos práticos com ar sofisticado para surpreender a visita? Aqui você vai saber também como preparar o ambiente, montar uma mesa incrível e saber escolher uma boa música para cada ocasião. Tudo para fazer do momento ainda mais especial!

6
out

Chegou o tão esperado final de semana!!! Se você convidou os amigos para uma reunião em sua casa regada a bebida e petiscos, mas ainda não selecionou a playlist que vai animar a galera, os seus problemas estão resolvidos!

músicas pro final de semana

Hoje o Cozinhando a Dois, selecionou 10 músicas que não poderão faltar na sua festa, happy hour, ou encontro com a galera. Tá preparado? Então pegue um drinque e vem comigo…

10 músicas pra animar sua noite – Volume 2

Antes de começar a nossa lista de hits nacionais e internacionais, você pode acessar o Volume 01 das 10 músicas pra animar sua noite clicando AQUI.

01 – Mi Gente – J. Balvin ft. Willy William

02 – Corpo Sensual – Pabllo Vittar ft. Mateus Carrilho

03 – Reggaetón Lento – CNCO ft. Little Mix

04 – Baldin de Gelo – Claudia Leitte

05 – He Like That – Fifth Harmony

06 – Pesadão – Iza ft. Marcelo Falcão

07 – Perro Fiel – Shakira ft. Nicky Jam

08 – Decote – Preta Gil ft. Pabllo Vittar

09 – New Rules – Dua Lipa

10 – Encaixa – MC Kevinho e Léo Santana

 

Tags: agitando a festa, animando a pista, musicas para dançar, playlist para dançar, seleção de músicas,

29
set

Esta história se assemelha a de muitos outros coquetéis. Um assíduo cliente de um bar cansado dos coquetéis do estabelecimento, pede para o bartender surpreende-lo e de repente todos os bartenders da região começam a confeccionar o mesmo coquetel.

A criação

Assim é a história do Negroni, um coquetel italiano, com bebidas típicas da Itália e com cor e sabor marcante de uma Ferrari. Como podemos notar, o Negroni é italiano em tudo, do criador aos ingredientes, e por falar no criador, este coquetel diferentemente dos outros já pesquisados, não existem dúvidas sobre quem o criou e quando.

O Conde Camilo Negroni era frequentador do Caffè Casoni (hoje chama-se Caffè Giacosa), localizado na cidade italiana de Florença. Amigo do bartender Fosco Scarselli, o Conde, que sempre tomava o coquetel Americano pediu para que Fosco criasse algo um pouco mais forte para a tediosa tarde do ano de 1919. Após pensar por alguns instantes, Fosco acrescenta Gin London Dry ao coquetel preferido do Conde e após aprovação, dá o nome a este novo coquetel de Negroni.

negroni original
Depois daquela tarde, não é difícil imaginar como este coquetel tornou-se um clássico, já que o Conde frequentava outros bares espalhados pelo mundo.

A receita

receita de negroni

Ingredientes

  • Gelo
  • 30ml de vermut russo
  • 30ml de campari
  • 30ml de gim
  • 2 rodelas de laranja

Modo de preparo

  1. Prepare o copo com gelo e uma rodela de laranja.
  2. Não é necessário o uso da coqueteleira.
  3. Basta juntar os ingredientes e misturar com uma colher.
  4. Leve para o copo e finalize com outra rodela de laranja.

 

coquetel negroni

Um drinque com três doses iguais de três diferentes bebidas. fácil de reproduzir em casa, e ótimo para tomar antes de refeições. É considerado um aperitivo que abre o apetite.

Uma bebida com personalidade e sabores marcantes!!!

E ae, inspirados para a sexta-feira? Um ótimo final de semana pra todos vocês!

Victor

Tags: coquetel negroni, drinque do dia, drinque negroni, receita de negroni, receitas de bebidas,

15
set

Em tempos que estamos rodeados de Food Trucks, Food Parks e Hamburguerias Gourmet, o Hambúrguer passou de um simples lanche, para um prato cheio de nuances, sabores e variedades.

Por isso, hoje o Cozinhando a Dois resolveu voltar no tempo, e buscar a história desse fenômeno que conquistou o mundo todo!

A História do Hambúrguer

Da Alemanha para a América

O hambúrguer descobriu a América na segunda metade do século XIX, trazido pelas levas de imigrantes alemães embarcados no porto de Hamburgo, razão pela qual seu primeiro nome no Novo Mundo foi hamburg steak. Os primeiros a experimentá-lo nos Estados Unidos foram os marinheiros que aproveitavam a carne entre dois pedaços de pão para mastigar algo enquanto trabalhavam.

Suas origens, no entanto, podem ser encontradas no passado remoto. Durante os séculos XII e XIII, a Europa conheceu as invasões dos chamados mongóis. Na verdade, entre os povos que se agrupavam sob essa denominação, estavam os tártaros, tribos nômades guerreiras que habitavam as estepes russas.

Os tártaros introduziram na Europa a técnica de moer a carne dura e de má qualidade para torná-la mais digerível. Diz a lenda que os cavaleiros tártaros costumavam levar a carne crua embaixo da sela quando galopavam em suas incursões guerreiras. Na hora de comer, o bife tártaro já tinha se torna-do uma pasta amassada. O que se sabe com certeza é que os tártaros foram os que apresentaram o hambúrguer aos hamburgueses. Esses ficaram com a fama de terem sido os criadores do sanduíche.

O hambúrguer, de fato, deve a sua popularidade às características da sociedade que o acolheu. A partir do início do século XX, os Estados Unidos se tornaram a maior potência industrial do mundo, e as massas de trabalhadores americanos necessitavam de algum tipo de alimento rápido, prático e barato, ao ritmo da explosão industrial do país.

O “BOOM” das cadeias de lanchonetes

Só faltava inventar uma fórmula para aproveitar esse mercado em expansão. Foi fácil. Os americanos já conheciam o carrinho de sorvetes e hot-dogs (a versão americana da salsicha, também trazida por imigrantes alemães). Era hora de fazer o mesmo com o hambúrguer.

história do hamburguer

Mas foi somente em 1921 que surgiu a primeira cadeia de lanchonetes do país, chamada White Castle. Vendia-se nelas um hambúrguer cozido no vapor e cheio de cebola. O prato talvez não fosse especialmente apetitoso, mas seu preço com certeza era: 5 centavos de dólar.

white castle burger

white castle burger

A partir de então, várias lanchonetes foram sendo criadas para vender essa “iguaria”, o que resultou no surgimento de cadeias de restaurantes poderosíssimas como McDonald’s, Burguer King, dentre outras.

hambúrguer na história

O hambúrguer conquistou o mundo. A rodela de uns 50 gramas de carne moída entre duas metades de pão redondo, coberta ou não de queijo, acompanhada ou não de alface e tomate, começou a ser vendida por todas as partes do mundo. As lanchonetes começaram a chegar ao Brasil em 1952, quando o tenista americano Robert Falkemburg fundou o primeiro Bob·s em Copacabana, no Rio.

hambúrguer na história

O Hambúrguer nos dias de hoje

Muitos nutricionistas alertam para o consumo frequente desses alimentos industrializados, o que vem criando um controle cada vez maior por parte dos órgãos competentes na produção desses alimentos, e deixando a população em alerta sobre o que estavam comendo.

E foi aí que o “hambúrguer gourmet” chegou com tudo no mercado. As carnes nobres, ingredientes frescos e os sabores refinados desses novos “lanches gourmetizados”, ganharam o coração e o paladar do público, fazendo com que essa evolução do hambúrguer atingisse até mesmo a galera “geração saúde”, conquistando assim todos os públicos.

Claro que as grandes redes de lanchonete não perderam 100% do seu público, porém, isso fez com que um mercado que estava acomodado há muitos anos na liderança, começasse a pensar melhor na qualidade de seus produtos e se reinventar.

Victor

Tags: de onde vem o hambúrguer, fast food history, hambúrguer gourmet, história americana, história do hambúrguer,

1
set

Sunomono… que nome estranho né? Mas se você adora comida japonesa, com certeza já deve ter experimentado essa saladinha de pepino agridoce servida de entrada em rodízios de Sushi.

Esta é uma salada tradicional da culinária japonesa e muito apreciada no mundo todo. A palavra Sunomono significa alimentos avinagrados em conserva. O segredo desta salada está no molho que mistura vinagre e açúcar que resulta um delicioso sabor agridoce.

A receita é simples, a técnica de preparo não tem muito mistério e o resultado é uma salada de sabor delicado e um visual muito apetitoso.

Receita de Sunomono

Rendimento: 2 porções
Preparação: 20 minutos 

Ingredientes:

ingredientes sunomono

  • 1 pepino japonês grande cortado em fatias bem finas
  • 1 colher de sopa de sal
  • 3 colheres de sopa de vinagre de arroz
  • 2 colheres de sopa de açúcar (não use refinado)
  • 2 colheres de sopa de gergelim branco e preto (tostado)
  • óleo de gergelim para finalizar (opcional)
  • sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:

ingredientes sunomono

01 – Corte os pepinos em lâminas bem finas em um prato fundo grande o suficiente para a quantidade de pepinos que você vai fazer.

 

 

 

 

 

02 – Coloque o sal e misture bem aos pepinos. Disponha as fatias de pepino em um escorredor grande, coloque um prato embaixo para escorrer o líquido (eles vão desidratar) e deixe descansar por 15 minutos.

 

 

 

 

gergelim sunomono

03 – Toste as sementes de gergelim rapidamente na frigideira para deixar esfriar até o momento de servir a salada. Tostar na frigideira é opcional, mas esse processo acentua o sabor do gergelim.

 

 

 

 

receita de sunomono

04 – Em uma panela pequena coloque o açúcar, misture o vinagre e ligue o fogo baixo. Deixe aquecer até que o açúcar derreta com o calor do fogo e se misture ao vinagre. Quando todo o açúcar tiver dissolvido, desligue o fogo e remova o molho da panela colocando em um recipiente aberto para esfriar.

 

 

 

 

05 –  Enxague os pepinos em água corrente para retirar o excesso de sal e esprema bem com as mãos para retirar todo o excesso de água que ainda sobrou. Coloque os pepinos em um recipiente, adicione o molhinho de vinagre e açúcar (frio), e se desejar coloque umas gotinhas de óleo de gergelim. Finalize a salada com o gergelim que foi previamente tostado. Se quiser utilizar pimenta do reino, coloque no final, e está pronto para servir!

 

 

Fácil né? Deliciosa e refrescante, esta é uma excelente maneira de preparar salada de pepino! Mas cuidado pra quem está de dieta, essa é uma salada calórica, devido a quantidade de açúcar utilizado para o preparo.

Fonte (Blog Veganana)

 

 

 

Tags: comida japonesa, culinária japonesa, pepino agridoce, receita de sunomono, salada agridoce, salada de pepino,